Image
Icon
Ricardo | 5. setembro 2021

Greve na Twitch Brasil: Sindicato luta por direito dos streamers

Apesar da popularidade da Twitch estar mais alta do que nunca, a verdade é que o cenário da Twitch Brasil está longe de estar perfeita. Pelo menos na opinião de muitos dos mais famosos streamers brasileiros, dessa “plataforma roxa”. Porém, quais foram os reais motivos que levaram a uma greve geral dos streamers brasileiros nesse passo dia 1 de setembro?

De fato, caso acompanhe minimamente alguns streamers brasileiros na Twitch, rapidamente percebeu que existiu uma grande mudança nos valores dados por cada subscrição. Isso acontece porque, a partir desse momento, os streamers brasileiros vão estar recebendo em reais. Claramente que a conversão não acabou favorecendo os produtores de conteúdos nacionais.

Além disso, para que se tenha uma noção, o valor base de uma subscrição foi, de um momento para outro, dos R$ 22,99 para R$ 7,90. Ou seja, existiu uma redução superior a 70%. Tal diferença poderá fazer com que, por exemplo, alguns desses “twitchers” favoritos não consigam se dedicar a 100% à Twitch Brasil, tendo a necessidade de arranjar um part-time, por exemplo.

Criação de Sindicato dos Streamers e greve geral na Twitch Brasil

Apesar de não ser uma Entidade registrada, um grupo grande de streamers brasileiros, como Daniel “danielhe4rt” e Picoca liderando, enviaram um manifesto público, onde claramente é questionado quais foram os motivos para uma redução tão grande nos custos das subscrições. Para além disso, esse próprio sindicato garante que a redução do “sub” faz com que haja uma ligação menor entre usuário e streamer.

No entanto, essas não são as únicas queixas que foram inclusas nesse manifesto. Isso porque, como a Twitch está sediada nos EUA, sua taxação também é realizada em território americano. Ou seja, todos os rendimentos que os streamers brasileiros conseguem nessa plataforma de streaming serão taxas previamente. Logo, em muitos casos existe uma dupla tributação, o que claramente também reduz muito os potenciais ganhos dos streamers nacionais.

twitch subs

Por isso mesmo, os quase 500 streamers nacionais, que assinaram publicamente esse manifesto, pretendem que exista uma sede brasileira na Twitch, evitando assim que possa existir a dupla tributação. Bem como um suporte e acompanhamento mais personalizado e rápido a todos os criadores de conteúdo da “plataforma roxa”.

Acusação de monopólio e ausência de soluções

Finalmente, nesse mesmo manifesto, os streamers garantem que a própria Twitch está beneficiando ao máximo de seu enorme monopólio. Tal faz com que os streamers se sintam altamente limitados quanto a outras soluções no mercado. Somando a isso, a ausência de diálogo também é uma das acusações mais presentes nesse manifesto. Por exemplo, não terá sido provado aos streamers que a redução dos preços dos “subs” iria ser benéfico a longo prazo para os mesmos.

De salientar que a Twitch, como forma de justificar a redução em mais de 20% (a nível global) de seus “subs”, garantiu que ficou provado que um preço mais reduzido iria permitir que ainda mais pessoas tivessem a capacidade de conseguirem apoiar seu streamer favorito, com a tal subscrição. No entanto, a verdade é que o Sindicato de Streamers não acredita muito nisso, afirmando que esses estudos jamais foram divulgados e comprovados.

Ora, restará agora perceber como a própria Twitch Brasil vai reagir a esse manifesto, bem como à greve que foi realizada há pouco tempo por um grande porcentual de steamers nacionais. Isso porque, tal como está presente em seus Termos e Condições, essa é uma plataforma independente e privada. Portanto, mais do que os streamers, as decisões de seus responsáveis estão muito influenciadas por seus investidores. Bem como a própria empresa-mãe Amazon, que até teria reduzido o valor pago aos streamers brasileiros nas “subs” realizadas pelo Amazon Prime. Mas será que algo vai mudar?